quinta-feira, setembro 02, 2004

Aborto - a falsa questão


embriao Posted by Hello
Poderia mencionar inúmeras questões, mas apenas remeto-me à vossa opinião e não como muitas pessoas que pensam no aborto em função de convicções religiosas ou partidárias, ou porque acho que de facto é um direito da mulher e assim como os homens têm direitos, elas também podem decidir em função das condições monetárias que podem proporcionar a uma futura criança, evitando assim a precarização das condições de vida, futura marginalidade ou entrada no mundo da toxicodependência... só porque não podem abortar...

6 Comments:

Blogger Del Giorgio said...

Sim... porque não passou por Azevedo o Barco do Aborto e os teus velhotes não foram lá dar uma voltinha?...

7:31 da tarde  
Blogger Plimstar (Carlos Filipe) said...

Para o aborto tenho uma resposta imediata, e outra alternativa ponderada. A imediata é NÃO! Defendo a vida como instância primeira... ninguém tem direito em tirá-la, e muito menos por simples descuido! Além disso existem sempre soluções para os problemas financeiros, há sim que desenvolver e tornar mais eficiente e justo o processo de adopção. Neste aspecto, como em outros, ainda estamos a viver no século passado. :(
Depois, é obvio que existem as famosas excepções, de bom senso e racionais, mas já não vulgares ou de capricho!!
Violação, risco de vida da mãe, risco da qualidade de vida do bebé, talvez até outras situações, em que efectivamente a mãe (e o pai também) deverão ter a sua palavra, serem ouvidos e apoiados por gente competente (psicólogos nomeadamente), para que possam eles próprios tomar a melhor decisão, ou pelo menos aquela que pensam ser melhor, e que os deixe com a consciência mais tranquila. Todavia interromper uma gravidez só porque ainda "não é o momento certo" parece-me de todo invasivo e sinal de imaturidade! É o ainda querer ser mais filha do que mãe!!! Ningúem pede para nascer, mas será que temos nós o direito de optar, sem mais nem menos, só por estar a pensar no próprio umbigo?! Julgo que não...

9:46 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

plimstar não vives neste mundo

luis

4:25 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

lol... cada um tem o seu mundo. Mas n há como passar por elas.. ehe. Quem sabe um dia, vamos la ver.. =))

5:35 da manhã  
Blogger Luigi Mario said...

Enquanto houver miseria, fome e guerra neste mundo, enquanto houver gente que rouba e mata ninguem tem direito a saber quem tem direito a vida seja a quem for. Abortar sim so no caso de poder abortar tanta gente que nunca mereceu viver, toda a gente tenta mandar naquilo que so a mulher tem o direito de decidir porque responsabilidades ninguem quer no final. Toda a gente faz os possiveis para tornar a vida do proximo o mais miseravel possivel. Isso sim e abortar no activo porque no passivo ja toda a gente faz.

10:13 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

A mulher não é dona do bebé que carrega, qual é que foi a parte não compreendida?! Agora que é muito prático acabar com um problema e continuar aí a "bombar", isso acredito...se fossemos animais. Azar o dos bebés que moram (mesmo que por pouco tempo) na barriga de certas mulheres. Conheço tanta gente que não pode ter filhos e que gostava...blá blá blá e a fome e o mundo injusto...somos Homens ou ratos?! Assumir consequências, responsabilidade. Alguém sabe o que é?!
Sorte a de quem escreve neste blogue, significa que não fopi abortado!!!

10:52 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home